Santuario D’ Oropa – Biella – Italia
Associação Madre Cabrini
Chiesa Cattolica Italiana
Provincia di Roma
Catolicismo Romano
Provincia di Biella
Os erros graves da seita das Testemunhas de Jeová PDF Imprimir E-mail

1 – Tratamos no portal Catolicismo Romano dos erros das seitas protestantes em geral. Mas, uma se destaca das demais, é a das Testemunhas de Jeová.

Fundada em 1870 nos Estados Unidos pelo ex-pastor anglicano, Charles Russel, é uma das poucas seitas protestantes antitrinitárias, ou que negam a verdade fundamental do Cristianismo, a Trindade de Pessoas em Deus. Nesse sentido ela é judaizante, pois os judeus, rejeitando Jesus como Deus, rejeitam a Santíssima Trindade.

2 – Os seus adeptos fazem muita questão de chamar a Deus de Jeová. No entanto está provado que este nome é o resultado de uma leitura errada do nome de Deus em hebraico. A leitura correta é Javé (Jahweh). Isso se explica assim: os judeus, com receio de transgredir o 2º preceito do Decálogo, pronunciando o nome de Deus em vão, evitavam chamar a Deus por seu nome próprio, Jahweh, nome hebaico que significa “Aquele que é”. Para isso usavam um artifício: no lugar das vogais do nome “Jahweh”, colocavam as vogais do nome “Adonai” nome também hebraico, que significa “Senhor”, e dava “Jahowáih”. Daí, com pequenas alterações, surgiu a leitura errada do nome de Deus, com Jeová em vez de Javé, que é a leitura certa.

3 – Os outros erros da seita das Testemunhas de Jeová são os mesmos dos demais protestantes. Apresentamos aqui só os textos bíblicos que refutam o seu erro especial, o erro antitrinitário.

A – Primeiramente, textos que provam a divindade do Filho, Jesus Cristo, e que, portanto, em Deus há mais de uma Pessoa Divina. A maioria dos textos são da pena do evangelista São João, que foi o que melhor conheceu a intimidade de Jesus. Ele nos apresenta as passagens mais importantes sobre esse tema. 1º – textos nos quais Jesus nos fala do testemunho das suas obras: “Mas eu tenho maior testemunho do que o de João, o Batista, porque as obras que meu Pai me deu a executar – essas mesmas obras que eu faço – testemunham a meu respeito, que o Pai me enviou”. (Jo. 5, 36) “O Pai que permanece em mim, é que realiza as sua próprias obras. Crede-me: estou no Pai e o Pai está em mim. Crede-o ao menos por causa destas obras”. (Jo. 14, 10-11) Por isso, “quem me viu, viu também o Pai”. (Jo. 14, 9) “Eu e o Pai somos um”.(Jo. 10,30)

B – Sobre a divindade do Espírito Santo, pela qual em Deus há Três Pessoas Divinas, confiram-se os seguintes textos: Jo. 14, 16; 14, 25 a 27; 16, 7. Em Jo. 14,16 lê-se: “Ele (o Pai) vos dará um outro Paráclito, para que fique eternamente convosco.” Em Jo. 14, 25 a 27 lê-se: “O Paráclito, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ensinar-vos-á todas as coisas, e vos recordará tudo o que vos tenho dito”. Em Jo. 16,7 lê-se: “Se eu não for, o Paráclito não virá a vós, mas se eu for, vo-lo enviarei”. Ver também: Gal. 1, 3-4 e 13; Col. 1, 3 a 8; 1 Tes. 1, 2 a 5; 1 Ped. 1, 3 e 12. - No entanto, a equiparação mais perfeita entre as Três Pessoas Divinas em Deus está nas seguintes palavras de Jesus registradas por São Mateus: “Ide, pois, e ensinai a todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. (Mt. 28, 19)

4 – Os argumentos acima visam esclarecer o leitor pessoalmente em suas possíveis indagações. Não visam encorajar a ninguém que não esteja bem seguro dos argumentos católicos, a entabolar discussão com os membros das seitas, especialmente das TdJ. Em geral, as pessoas das seitas que batem à sua porta para oferecendo revistas, livros, livretos, etc., são pessoas que foram preparadas para essa missão. Foram forçadas a decorar uma série de textos bíblicos que freqüentemente não vêm a propósito, porque tirados de seu contexto e mal traduzidos. A recitação desses textos um após outro, e às vezes alternadamente por dois recitadores, visa confundir e intimidar o católico, dando a impressão de possuírem grande cultura bíblica.

5 – Aqui citamos até o fim, oportunos conselhos de um autor desconhecido, pois só temos de seu livro texto xerocado do nº 7, p. 53 a 56: “Quando Testemunhas de Jeová baterem à sua porta”.

6.1 – “ Saibam que as TdJ que vêm a sua porta, passam por um treinamento intensivo para se fazerem entrar na sua maneira de raciocinar. Se vocês não forem atentos, rapidamente cairão na sua armadilha. Elas têm a sua “verdade” a lhes transmitir, elas não vêm pedir a sua luz. Se virem que não conseguem fazer nada com vocês, elas não voltarão mais.

6.2 - As TdJ citam avalanches de versículos bíblicos. (Os protestantes, em geral, o fazem – ndr) Com o tempo, percebe-se que elas reutilizam sempre os mesmos versículos que, após um sério exame, revelam-­se insignificantes. Eles são tirados para fora do seu contexto além de serem traduzidos de maneira incorreta e desonesta.

6.3 - Vocês devem mostrar-lhes que também são amorosos e educados. Não as tratem mal. Elas só se sentem confirmadas com isso: consideram-se “mártires” da pa­lavra de Jeová.

6.4 - Digam-lhes, com educação, mas com firmeza, que estão contentes com a religião que têm e que vocês se sentem seguros na sua fé.

6.5 - Não digam apenas que não têm tempo, como forma de as mandar embora: elas vão voltar. Elas vêm sempre, duas a duas, para colocar vocês num fogo cruzado. Não cometam a imprudência de aceitar um estudo bíblico, com elas, porque vocês não vão estudar a Bíblia, mas o manual das Testemunhas de Jeová. A Bíblia será colocada na mesa, para de vez em quando se tirar dela um versículo para apoiar suas teses.

6.6 – Nunca as deixem entrar em sua casa.

6.7 - Não aceitem as revistas, nem os livros. Não que um cristão adulto e minimamente preparado não possa ler tais livros. Mas, para as testemunhas de jeová, aceitar os seus livros já é o primeiro “sim”. Se vocês não têm a formação bíblica para responderem aos argumentos delas, não aceitem conversar. Estudem primeiramente a Bíblia, e a sua fé cristã, e informem-se antes de tudo sobre as testemunhas-de-jeová. (Ou membro de qualquer outra seita – ndr)

6.8 - Dêem-lhes a entender que já conhecem as testemunhas-de-jeová, que já estão bem informados sobre elas, e isso lhes basta.

6.9 - A não ser que vocês se sintam muito seguros, não aceitem que as testemunhas-de-jeová comecem a ler frases da Bíblia. Não devem entrar em discussões, nem sequer aceitar que a testemunha se ponha a abrir a Bíblia. As testemunhas de jeová estão bem treinadas para confundi-los, como bons vendedores de um produto. Elas tiveram um treinamento intensivo para levar vocês a pensar como elas. Elas não vêm a sua casa para ter o prazer de conversar, mas unicamente para convencer vocês. Elas utilizam muitos versículos bíblicos tirados do contexto e, muitas vezes, traduzidos de maneira incorreta, e distorcem freqüentemente a Bíblia. ‘Eu sei, disse José Ferreira, que contra elas, sé há um remédio: ou conseguir mostrar-lhes que estão erradas, e, para isso, vocês precisam de uma sólida preparação, ou então fazer o sinal da cruz e mandá-las calar’.

6.10 - Aproveitem todas as oportunidades para aprofundar a sua Fé e aumentar a sua formação bíblica e religiosa. Conhecer bem a Bíblia é a melhor maneira de se preparar para responder as testemunhas de jeová. (Para premunir-se dos ataques de qualquer seita, nem sempre é fácil encontrar um bom e seguro orientador.

6.11 - Não se esqueçam de que, se cometerem a imprudência de aceitar um “Estudo da Bíblia” com elas, vocês receberão regularmente a visita de uma TdJ bem treinada. Porém, vocês não farão um estudo da Bíblia. Sem que percebam, elas entrarão no estudo do manual da seita, que não é a Bíblia.

6.12 - Não sejam irônicos com elas. Elas são vítimas, mesmo não tendo consciência disso. Pensam ser do­nas da verdade, quando são somente, segundo a expressão de Raymond Franz, sobrinho do ex-presidente Frederic Franz, ‘adeptos de adeptos e vítimas de vítimas’.

6.13 – Saibam ainda que, mesmo se vocês as convencerem do erro, isto não impedirá, apesar de tudo, que elas continuem acreditando na sua verdade. Mas, talvez você tenha conseguido semear a dúvida em seu espírito: ela poderá refazer o seu caminho.

6.14 – Se nos sentirmos inseguros, pouco armados (…), devemos fugir das seitas como da peste. O apóstolo São João é categórico nesse assunto: ‘Quem permanece na doutrina, este possui o Pai e o Filho. Se alguém vier a vós sem trazer esta doutrina, não o recebais em vossa casa nem o saudeis’ ” . (2 Jo. 9-l0)

 
< Anterior   Próximo >
Copyright © 2010 Catolicismo Romano | Powered by UNOPress