Provincia di Roma
Provincia di Biella
Associação Madre Cabrini
Chiesa Cattolica Italiana
Santuario D’ Oropa – Biella – Italia
Catolicismo Romano
Amanhã e nunca são sempre sinônimos. Amanhã me converterei é sinônimo de que "nunca me converterei " PDF Imprimir E-mail

Jesus se aproxima de Jerusalém, Jesus contempla Jerusalém do alto do monte das Oliveiras. Deveria ser uma visão bonita com a majestade do templo de Jerusalém bem diante dos olhos. E, no entanto, Jesus, ao invés de Se entregar ao júbilo e à alegria, mostra descontentamento e tristeza. “Jerusalém, Jerusalém, quantas vezes Eu quis reunir os teus filhos como a galinha reúne debaixo das suas asas os seus pintinhos e tu não quiseste? Dias virão em que teus inimigos te cercarão de trincheiras e te apertarão de todos os lados porque não conheceste o tempo em que foste visitada.”

Hoje, o peregrino que vai a Jerusalém desce o mesmo monte das Oliveiras. Só que não tem mais a visão esplendorosa daquele templo de Jerusalém pois, de acordo com a profecia de Jesus, dele não restou pedra sobre pedra; tudo foi destruído pelos romanos no ano 70 da nossa era com os exércitos chefiados por Tito.

Na descida da montanha existe uma pequena capela moderna, construída a modo de lágrima por um arquiteto italiano chamado Antonio Belucci. Aquela capela recebe o nome de “Dominus Flevit”, isto é, O Senhor chorou. Quem entra naquela capela tem, mais ou menos, a mesma visão que Jesus teve há dois mil anos atrás; só que, ao invés do templo na esplanada existem duas mesquitas – as terceiras em importância para o Islã após Meca e Medina; o templo desapareceu.

O texto de Lucas serve para a nossa reflexão. Jesus pode dizer a cada um de nós o que disse, então, de Jerusalém. “Quantas vezes Eu te chamei? Quantas vezes Eu te adverti? Quantas vezes eu te admoestei? E nada. Quantas vezes te persegui com a minha graça?


E nenhum progresso, e nenhuma conversão.” E muitas pessoas vão caminhando velozmente ao encontro do final da própria existência sem que antes se tenham encontrado definitivamente e se reconciliado, através da penitência e da conversão, com o próprio Deus.

Quantas são as pessoas que levaram uma vida assim e terminaram assim a vida? Guardem bem estas palavras. Normalmente se termina como se vive, normalmente se morre como se está, hoje, vivendo. Amanhã e nunca são sempre sinônimos. “Amanhã me converterei” é sinônimo de “nunca me converterei.”

 
< Anterior   Próximo >
Copyright © 2010 Catolicismo Romano | Powered by UNOPress