Santuario D’ Oropa – Biella – Italia
Associação Madre Cabrini
Chiesa Cattolica Italiana
Provincia di Roma
Catolicismo Romano
Provincia di Biella
Vaticano cria rede global contra a máfia e a corrupção PDF Imprimir E-mail
O Vaticano anunciou nesta terça-feira (1) que criará uma “rede internacional” para combater a máfia e a corrupção espalhadas pelo mundo. A decisão vem na sequência de uma reunião sobre os temas, realizada no dia 15 de junho, pela Consulta sobre a Justiça do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral.   


“A Igreja no mundo é já uma rede e por isso pode e deve colocar-se a serviço de tal intenção com coragem, decisão, transparência, espírito de colaboração e criatividade”, diz a Santa Sé em um comunicado.   


O documento leva em consideração um pedido de “Não à corrupção”, que o papa Francisco determinou como tema de sua rede mundial de orações para fevereiro de 2018. Quando fez o anúncio, ele lembrou beato Giuseppe Puglisi, sacerdote e mártir, pedindo para que “aqueles que tem poder material, político ou espiritual não se deixem dominar pela corrupção”.   


Ainda segundo o Dicastério, a partir de setembro, a Consulta Internacional sobre a Justiça informará sobre quais serão as iniciativas a serem adotadas a partir do próximo ano. “A corrupção, antes de ser um ato, é uma condição. Aqui há a necessidade da cultura, da educação, da instrução, da ação institucional, da participação, da cidadania”, diz ainda a nota.   


Segundo o Vaticano, a rede “não se reduzirá a algumas exortações porque serão necessários alguns gestos concretos”.   


A notícia da criação da nova rede surge no mesmo dia em que foi revelado um apelo do Pontífice aos jovens brasileiros para que eles lutem contra a corrupção. “Vocês são a esperança do Brasil e do mundo, não tenham medo de combater a corrupção”, escreveu em mensagem enviada aos participantes de um evento organizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.   


– Excomunhão: Além de apresentar a nova rede contra os dois tipos de crime, a Consulta sobre a Justiça informou que “aprofundará o estudo para uma resposta global – através das Conferências Episcopais e as igrejas locais – sobre a excomunhão de mafiosos e às organizações criminosas afins e sobre a perspectiva de excomunhão pela corrupção”.   


“Este caminho não será simples. A Igreja está espalhada pelo mundo e é preciso colocar e escutar todas as suas articulações para proceder no diálogo também com não cristãos, de maneira participativa, transparente e eficaz”, diz o comunicado.   


O texto ainda afirma que o Dicastério quer “fazer ressoar a mensagem de justiça e paz do papa Francisco”. “A corrupção, de fato, causa falta de paz, assim a Consulta aprofundará também a relação entre os processos de paz e formas de corrupção”, acrescenta.

 
< Anterior   Próximo >
Copyright © 2010 Catolicismo Romano | Powered by UNOPress